Promotora peca pela falta de argumentação em coletiva de imprensa (vídeo).

A promotora Camila Mansour na coletiva de imprensa.

A promotora Camila Mansour Magalhães da Silveira na coletiva de imprensa.

Na quinta-feira 19 de março a promotora de Justiça, Habitação e Urbanismo do Ministerio Público de São Paulo, Camila Mansour Magalhães da Silveira, convocou uma coletiva de imprensa para atender jornalistas e falar sobre a ação civil que tentava barrar as ciclovias de São Paulo e sugerir que o canteiro central da av. Paulista fosse reconstituído.

Estive presente com outros ciclistas na coletiva e parece que a doutora não fez a lição de casa. Cometeu alguns erros como citar o capacete como item obrigatório no Código de Trânsito Brasileiro e não conseguiu responder quantas pessoas tinham questionado as ciclovias para o processo ser aberto.

“No processo fala-se em 40″, disse um ciclista. A promotora respondeu que o número não era importante. ” Pra gente é importante sim” questionou uma jornalista, que pressionou a promotora a fechar um número. ” Posso colocar entre 80 e 120 então?” O número foi “fechado” em 80.

“Um dos argumentos que a promotora cita é a falta de participação popular. Mas segundo a pesquisa da Rede Nossa São Paulo, 88% da população apoia a construção de ciclovias. Então que população é essa que está nos representando?” – contesta o ciclista Carlos Aranha.

Em duas horas, 300 ciclistas se mobilizam para protestar

Ciclistas penduram cartazes na porta do Ministério Público, em São Paulo

Ciclistas penduram cartazes na porta do Ministério Público, em São Paulo

Na mesma quinta-feira 19 de março, depois de um evento criado no facebook, onde em 2 horas já havia mais de 1000 confirmações, cerca de 300 ciclistas se reuniram na Praça do Ciclista para uma manifestação.

Pedalaram pela av.Paulista, homenagearam as ciclistas Marcia Prado e Julie Dias, que morreram atropeladas por ônibus em 2009 e 2012 respectivamente. Depois desceram a Rua Vergueiro, com o acompanhamento da Policia Militar, em motos e viaturas, e prenderam cartazes na porta do Ministerio Público com frases sugerindo a prevalência de interesses privados sobre os públicos: ” Ministério Público ou Privado?” – dizia um dos cartazes.

Fiz um vídeo mostrando um pouco a falta de argumentação da promotora, ou a argumentação dos ciclistas.

A decisão do juiz

O juiz pediu para a Secretaria de Transportes paralisar as obras das novas ciclovias e apresentar um estudo de impacto no trânsito.

Provavelmente este estudo será fácil de fazer porque tirar carros estacionados para colocar ciclovias não tem impacto nenhum.

Quanto a ciclovia da Av. Paulista, entendeu que esta apresenta um melhor estudo e liberou a continuação das obras.

Leia mais aqui: http://jornalggn.com.br/noticia/ciclistas-atropelam-promotora-que-interrompeu-ciclovias#.VQyglPmthay.facebook

Ouça o áudio completo:

Anúncios
Esse post foi publicado em cidadania, manifestação, mobilidade, protesto, Uncategorized e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Promotora peca pela falta de argumentação em coletiva de imprensa (vídeo).

  1. Bea disse:

    Reportagem muito esclarecedora e o video tá barbaro!!!!! Parabens Rachel!

    Curtir

  2. exoterico disse:

    Republicou isso em Interação.

    Curtir

  3. Pingback: Ciclovias de São Paulo recebem apoio de várias cidades do mundo | Página da Rachel

  4. Pingback: Manifestação por ciclovias em São Paulo ganha apoio de várias cidades do mundo | Página da Rachel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s