Buenos Aires também sofreu resistência da mídia e da oposição na implantação de ciclovias ( vídeo)

Guillermo Dietriech com Antonio e Jilmar Tatto, no Forum Mundial da Bicicleta.

Guillermo Dietriech com Antanas Mockus e Jilmar Tatto, no 4º Fórum Mundial da Bicicleta.

Críticas da oposição e da mídia contra as ciclovias não são exclusividade de São Paulo. Em Buenos Aires foi exatamente assim. É o que relata  o secretário de Transportes de Buenos Aires Guillermo Dietrich nesta entrevista gravada durante o 4º Fórum Mundial da Bicicleta, em fevereiro de 2015 em Medellin.

Guillermo esteve presente durante o 4ºFórum Mundial da Bicicleta dividindo a mesa com Jilmar Tatto, secretário de Transportes de São Paulo e Antanas Mockus , ex-prefeito de Bogotá.

Foi em 2007 que o prefeito de Buenos Aires Mauricio Macri começou a implantar um plano cicloviário na cidade, para surpresa da classe média e da mídia local. Surpresa porque o prefeito ( reeleito em 2012) é um grande empresário e pertence a um partido mais conservador, portanto, foi um susto quando perceberam as diretrizes da sua gestão, priorizando projetos mais populares e democráticos.

“Os meios de comunicação estavam contra as ciclovias, a esquerda local paradoxalmente estava contra as ciclovias, assim como os motoristas” – relata Guillermo.

Projeto paulistano teve inspiração em plano de Buenos Aires

As ciclovias de Buenos Aires fazem parte do projeto “Ciudad Verde“, que  serviu de inspiração e referência para a gestão paulistana começar o mesmo processo em 2014.

Segundo Ronaldo Tonobohn, superintendente de planejamento da Companhia de Engenharia e Tráfego de São Paulo (CET), a experiência de Buenos Aires mostrou que era possível fazer o mesmo em São Paulo: “Quando o Jilmar ( Tatto) esteve em Buenos Aires percebeu que era possível construir ciclovias com orçamento baixo.” – conta Tonobohn. As ciclovias em São Paulo custam em média de 180 mil reais por km, não 650mil como foi publicado pela revista Veja. Leia mais aqui.

Outras ações como Wi-fi nas praças, proteção aos pedestres e redução da velocidade nas áreas centrais da cidade  também foram trazidas de lá. Vale lembrar que o projeto de ciclovias paulistanas não foi baseado somente no de Buenos Aires ,mas também em outras cidades como Nova York, por exemplo.

Screen Shot 2015-05-06 at 10.13.19 PM

Wi-fi livre em Buenos Aires. Foto: Rachel Schein

 

Screen Shot 2015-05-06 at 10.13.33 PM

Wi-fi livre em São Paulo. Foto: Rachel Schein

 

Redução da velocidade no centro da cidade de Buenos Aires. Foto: Rachel Schein

Redução da velocidade no centro da cidade de Buenos Aires. Foto: Rachel Schein

Screen Shot 2015-05-06 at 10.12.05 PM

Redução da velocidade no centro de São Paulo. Foto: Rachel Schein

Screen Shot 2015-05-06 at 10.37.18 PM

Zona de proteção aos pedestres em São Paulo. Foto: Rachel Schein

Screen Shot 2015-05-06 at 10.36.41 PM

Zona de proteção aos pedestres em Buenos Aires. Foto: Rachel Schein

Uma das bandeiras do candidato da oposição, segundo Guillermo, foi a promessa de que as ciclovias seriam retiradas da cidade. No entanto, Macri foi reeleito em 2012 com 47,8% dos votos.

 

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s